by Google Translate
Você saber usar os possessivos em inglês?

Usar os possessivos em inglês não é difícil, e a maioria das pessoas já sabe como usá-los da maneira correta. Mas existem algumas regrinhas que devem ser observadas para não cometermos alguns erros básicos.

Em inglês, existem diferentes maneiras para expressar uma posse. Já conversamos aqui sobre o caso genitivo, que é o famoso “apóstrofo + s”, mas existem dois outros grupos que são muito parecidos, mas são usados em situações diferentes. Estamos falando dos possessive adjectives e dos possessive pronouns.

Possessive adjectives

Estes são os que os estudantes mais conhecem, porque normalmente são os primeiros a serem estudados. O problema é que, por causa disso, as pessoas tendem a usar este tipo de possessivo em todos os casos, e nem sempre isso funciona.

Você também já deve ter visto esta lista:

MY – YOUR – HIS – HER – ITS – OUR – YOUR – THEIR

Os possessive adjectives, como o próprio nome diz, funcionam como adjetivos na frase, e por isso sempre devem vir antes de qualquer substantivo (lembre-se daquela regra clássica do inglês: adjetivos sempre aparecem antes de substantivos).

Então aí vai uma regrinha: sempre que você usar qualquer um destes possessivos, você vai ter que usar um objeto imediatamente depois dele. Alguns exemplos:

  • Where is my bag?
  • Could you lend me your pen?
  • Their mother is a doctor.

Possessive pronouns

E aí fica a dúvida: o que usamos quando não temos (ou não queremos colocar) um objeto na frase?

Para isso existem os possessive pronouns. Você já deve ter visto a lista deles por aí:

MINE – YOURS – HIS – HERS – OURS – YOURS – THEIRS

Mas agora a regrinha funciona ao contrário: você usa este tipo de possessivo quando não houver um objeto na frase (ele fica subentendido), ou quando o objeto aparecer antes do possessivo na frase. Olha só:

  • This bag is mine.
  • – Is this car yours?
  • – No, it’s hers. Mine is black.
  • Your desk is next to theirs.

Agora é só praticar bastante para não errar!

Escrito por Michel Rosas e publicado na coluna semanal da Exame.com. Editado para o blog da Companhia de Idiomas.