by Google Translate
Pra você saber mais sobre SOCIAL LEARNING

 

  1. O que é Social Learning, ou Aprendizagem Social? 

Essa teoria foi criada pelo professor da Universidade Stanford, Albert Bandura, e busca compreender como e o quanto aprendemos através da interação com as pessoas, fora dos modelos tradicionais de aprendizagem (ainda aplicados pela maioria das escolas e empresas)  no mundo.

 

  1. Mas como acontece esse aprendizado? 

Segundo este estudo, nós aprendemos mais ou menos de acordo com o padrão 70:20:10.

  • 70% do que aprendemos acontece nas experiências mão na massa,
  • 20% através de interações com pares, coaches e mentores e
  • 10% nos ambientes tradicionais da escola e nos treinamentos estruturados – nos quais o professor (ou quem professa o saber) ensina, e o aluno (ou quem ouve e anota) aprende.

 

  1. Conhecimento ou conexão? 

Segundo o professor e consultor Charles Jennings, “Estamos vivendo em um mundo onde o ACESSO supera o CONHECIMENTO todos os dias. Aqueles que sabem como buscar a informação, como encontrá-la e como fazer conexões, vão se destacar. Aqueles que confiarem no conhecimento estático e habilidades que não se interconectam, vão cometer um erro.”

 

  1. Quais problemas essa abordagem quer resolver?
  • Treinamentos e cursos tradicionais são um investimento alto porque se concentram no ensino síncrono – horas pagas a quem ensina, ao vivo, e horas investidas por quem “aprende”
  • Embora bons programas possam impactar e gerar conhecimento entre os participantes, se esse conhecimento não for aplicado imediatamente, o resultado é um residual mínimo, e consequentemente, poucos ganhos para a empresa no que se refere a aumento de eficácia, produtividade, margens, mudanças graduais ou disruptivas, ou qualquer outro objetivo estabelecido.

 

  1. Muitas empresas ainda têm modelos tradicionais em suas áreas de L&D. Como implementar a CULTURA DE APRENDIZAGEM, aos poucos? 
  • Investigar os problemas de engajamento e performance de forma mais ampla, admitindo que podem ser consequência de formatos de treinamento ultrapassados, que não mais motivam os treinandos
  • Integrar o modelo 70:20:10 nas estratégias de treinamento
  • Investir mais em Aprender a Aprender
  • Conhecer a potência da aprendizagem colaborativa em seus diversos formatos
  • Permitir e estimular que o funcionário assuma o controle de sua própria jornada de aprendizado, promovendo um ambiente favorável ao encontro de conhecimento, habilidades, conexões e práticas que promovam o aprendizado

 

  1. O que mais é possível fazer, com baixo investimento? 
  • FAQs e Fóruns: os funcionários podem fazer e responder perguntas uns dos outros
  • Wikis: informações que precisam ser disseminadas na empresa podem ser colocadas em um ambiente ‘Wiki” colaborativo, de forma que todos possam criar tópicos, atualizar e consultar em tempo real.
  • Mentorias (reversas, cruzadas ou tradicionais): criar canais de comunicação organizados, para que as pessoas possam compartilhar conhecimentos, ensinando e aprendendo de forma colaborativa
  • Gamificação e prêmios:  é bem importante nutrir a comunidade (senão ela pode morrer antes de se fortalecer), acompanhando progressos individuais e do time, estimular participantes que atualizam conteúdo, que ensinam e/ou que aprendem no ambiente

 

Fontes: 

https://open.spotify.com/show/4RdGmQsvSV5AZAfJg1qviB?si=hFxOrBpNS5-qNVTm9yj3DA&nd=1

https://www.docebo.com/learning-network/blog/what-is-social-learning-how-to-adopt-it/

 

[simple-author-box]