BLOG

28
AGO
17

A “pedra no sapato” de muitos candidatos



 

A boa comunicação está entre as competências essenciais exigidas pelas empresas e a redação, uma das avaliações constantemente utilizadas em processos seletivos, tem representado uma “pedra no sapato” para muitos candidatos.

É o que comprova os resultados observados pela Companhia de Idiomas, empresa especializada em cursos de idiomas in company, consultoria em idiomas e traduções, que, no primeiro semestre de 2013, contribuiu em uma etapa do processo seletivo para o programa de trainees de uma grande multinacional.

Por meio da correção de 1.982 redações em Português de candidatos que já tinham passado por algumas dinâmicas do mesmo processo seletivo, verificou-se que 37% deles tiveram nota igual ou inferior a 5; 39% atingiram de 5,5 a 7,5; 23% alcançaram de 7,5 a 9,5; e apenas 0,7% tiraram a nota máxima.

Qual foi o perfil do público que participou deste processo seletivo?

O público era formado por cerca de 2 mil candidatos, entre 22 e 28 anos , com superior completo e quase 51% deles eram mulheres.

Que critérios os avaliadores utilizaram para corrigir as redações?

Três avaliadores da Companhia de Idiomas fizeram a correção dessas redações. Para dar a nota final, foram avaliados os seguintes critérios: clareza, objetividade, coerência, ortografia, acentuação, pontuação, gramática e vocabulário. Na comunicação escrita, os três primeiros critérios tornam-se fundamentais e pudemos observar que os candidatos apresentaram muitas dificuldades. Foram percebidos, por exemplo, erros envolvendo o uso correto das preposições, crase, acentuação e hífen na nova ortografia e concordância entre sujeito e verbo, substantivo e adjetivo.

Mais algum item teve importância na pontuação dos candidatos?

Outros erros verificados denotam a falta de capricho ou a pouca importância aos detalhes: palavras incompletas, ou seja, que não foram escritas até o final ou com letras ausentes, falta da marcação do cedilha, falta do pingo no i, repetição de palavras e frases ambíguas.

Por meio da análise de todas as redações, o que ficou evidente?

A análise evidenciou que muitos candidatos não sabiam as diferenças entre dissertação, descrição e narração. O teste pedia uma dissertação, muito solicitada em processos seletivos, e muitos candidatos não mostraram famiiaridade com esse estilo de texto.

Quais seriam as diferenças básicas entre as modalidades de texto descrição, narração e dissertação?

A descrição é um retrato verbal no qual se apontam características que compõem e singularizam um determinado objeto, pessoa, ambiente ou paisagem. Já a narração é o tipo de redação na qual contamos fatos que ocorreram em determinadas circunstâncias: tempo, lugar, causa, consequência, personagens, entre outras. Por fim, a dissertação é a modalidade de redação na qual há exposição, debate, interpretação e avaliação de ideias, seguidas da apresentação de argumentos que as comprovem, ou seja, é necessário explicar, discutir, interpretar e avaliar essas ideias para que o texto esteja bem conciso.

Em sua opinião, o que o resultado desse processo indicou?

Infelizmente, o resultado do aproveitamento dos 1.982 candidatos no processo seletivo mostrou que os jovens precisam se dedicar muito mais à leitura e ao estudo do Português, pois a etapa de redação, além de eliminatória, é decisiva na contratação de um candidato. Então, comunicar-se bem no próprio idioma é a dica que fica aos jovens que não querem perder oportunidades de trabalho.

E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa e que dão aulas por Skype. Fale com: karina.soares@companhiadeidiomas.com.br

Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC e extensões na área de Marketing na ESPM, FGV e Insper. Coautora do Guia Corporativo Política de Treinamento para RHs e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista do portal Vagas Profissões e Revista Exame. Mobilizadora cultural à frente do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes. Quer falar comigo? Meu email é ligia@companhiadeidiomas.com.br e Skype ligiavelozo 

22
AGO
17

Fintech, Phishing, Big Data, Open Source, A.I. - Entenda as notícias de tecnologia “em Português”



 

Não é novidade o uso de termos em inglês na nossa comunicação diária. De tempos em tempos, precisamos fazer uma revisão do vocabulário que se torna frequente no nosso dia a dia, especialmente sobre tecnologia. Hoje definimos 6 palavras, porém tivemos de usar mais de 20 palavras em inglês para descrevê-las (em itálico). Com tecnologia, é assim…

FinTech
Composta pelas palavras finance e technology, as FinTechs definiam ferramentas de cryptocurrency (criptomoeda ou criptodinheiro), programas de compliance de área financeira, e, mais recentemente, as startups super tecnológicas do setor financeiro, que estão substituindo os bancos em alguns serviços, e se denominam cyberseguros.

Phishing
Roubo de informações, como do número do cartão de crédito ou senhas. Usando técnicas complexas de engenharia social e conhecimento de programação, os cybercriminosos fazem você acreditar que determinado site é verdadeiro - e você coloca seus dados, que são roubados. Phishing é um jargão usado para designar um fishing (pescaria) , só que não de peixes em um rio, mas sim de informações pessoais na internet. Este termo foi usado pela primeira vez em 1996, quando o primeiro caso de roubo de informações foi registrado.

Open Source Software
Open source é uma filosofia que visa promover acesso e distribuição livre de um produto final, geralmente um software ou programa, podendo se estender para a implementação e design de outros objetos. O termo Open Source ganhou força com a popularização da internet, já que tem a ver com o conceito de dividir livremente informação tecnológica, para que esta seja melhorada através de múltiplos insights e pontos de vista sobre esta informação, que é aberta ao público. Um código de um software open source é frequentemente downloadable ou seja, é possível fazer o download de graça, contanto que o usuário concorde com os termos de licença. Hoje praticamente todas as empresas usam algum software open source: para o desenvolvimento de banco de dados, ou apps, plataformas web e sistemas operacionais.

Big Data
Big data tem a ver com o mundo em constante mudança em que vivemos: quanto mais coisas mudam, mais essas mudanças são capturadas e armazenadas como dados (data). Como a maioria dos inúmeros dados coletados não são estruturados ou organizados, e dados desorganizados não têm valor, o processamento de grandes volumes de dados tornou-se valioso para diversos fins. O desafio é fazer com que o custo deste processamento não seja superior aos ganhos proporcionados com o uso dele.

A.I.
Artificial Intelligence, nome de filme de 2001, hoje refere-se a uma área da ciência da computação que lida com máquinas inteligentes. Máquinas inteligentes trabalham; reconhecem voz; planejam; reagem; aprendem imediatamente após cada erro cometido; tomam decisões com relativa precisão (com base em algoritmos de situações semelhantes no passado). Estamos cercados e dependentes de várias delas, e isso só vai aumentar.


FONTE:
www.techopedia.com
www.wordreference.com

E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa e que dão aulas por Skype. Fale com: karina.soares@companhiadeidiomas.com.br

Rosangela Souza (ou Rose Souza) é fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas. Graduada em Letras/Tradução/Interpretação pela Unibero, Especialista em Gestão Empresarial, MBA pela FGV e PÓSMBA pela FIA/FEA/USP, além de cursos livres de Business English nos EUA. Quando morava em São Paulo, foi professora na Pós Graduação ADM da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico e indicadores de desempenho para MPMEs. Colunista dos portais Catho, RH.com, MundoRH, AboutMe e Exame.com. Desde 2016, escolheu administrar a Companhia de Idiomas à distância e morar em Canela/RS, aquela cidadezinha ao lado de Gramado =) . Quer falar com ela? rose@companhiadeidiomas.com.br ou pelo Skype: rose.f.souza

Escrito por Rosangela Souza. Publicado em 19.07 na coluna semanal da Exame.com. Editado por Rosangela Souza para o blog da Companhia de Idiomas.

15
AGO
17

7 palavras em inglês fáceis de confundir com o português



 

Em inglês, "false cognates" ou "false friends" são palavras que têm a escrita e o som semelhantes, mas tem significados completamente diferentes em dois idiomas.

A confusão pode acontecer porque nosso cérebro tende a usar os parâmetros de comunicação da língua materna. Se a palavra é parecida com o português, é natural ser induzido à tradução mais óbvia.

Veja a seguir 7 falsos cognatos muito comuns entre o inglês e o português:

1. Eventually
finalmente; um dia; mais dia, menos dia
Eventualmente - occasionally

2. Exquisite
belo, refinado
Esquisito – weird, strange, odd

3. Sensible
sensato
Sensível – sensitive

4. Costume
fantasia (roupa)
Costume - custom

3. Fabric
tecido
Fábrica – factory

5. Prejudice
preconceito
Prejuízo – damage, loss

6. Actually
na verdade, na realidade
Atualmente – currently, today, nowadays

7. Resume
retomar, reassumir, recomeçar
Resumir – sumarize; sum up


Que tal treinar os seus conhecimentos? Tente corrigir as frases a seguir:

1) In the past he worked for a huge corporation. Actually he’s been looking for a job.

2) Actually Brazil is trying to recover from a recession. We hope the companies stop having prejudice next year.

3) We still keep a lot of costumes from the Italians.

4) Many car fabrics have been decreasing sales volume.

5) He is really exquisite, I don’t understand his behavior.

6) The earthquake caused incalculated prejudice .

7) Could you resume the content of the course and share the most relevant ideas with us?

8) He eventually drinks wine but never beer.

9) The team has eventually reached the goals, they haven’t shown steady results along this year.

10) Some people’s teeth are very sensible to cold

11) She is very sensible to criticism, she starts crying.


Sugestões de resposta:

1) In the past he worked for a huge coporation. Nowadays he’s been looking for a job. (Outra opção: He’s currently looking for a job).

2) Today Brazil is trying to recover from a recession. We hope the companies stop having loss next year. (Outra opção: Brazil is currently trying to recover from a recession...)

3) We still keep a lot of customs from the Italians.

4) Many car factories have been decreasing sales volume. (Outras opções: Many car industries... / Many automakers...)

5) He is really strange, I don’t understand his behavior.

6) The earthquake caused incalculated damage.

7) Could you summarize the content of the course and share the most relevant ideas with us?

8) He occasionally drinks wine but never beer.

9) The team has occasionally reached the goals, they haven’t shown steady results along this year.

10) Some people’s teeth are very sensitive to cold

11) She is very sensitive to criticism, she starts crying.


E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa e que dão aulas por Skype. Fale com: karina.soares@companhiadeidiomas.com.br

Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC. Coautora do Guia Corporativo Política de Treinamento para RHs e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista do portal Vagas Profissões. Organizadora do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes.