BLOG

31
JUL
17

Como dizer em inglês 6 palavras intraduzíveis do português



 

Você já deve ter percebido que, na linguagem coloquial, existem muitas diferenças entre o inglês e o português.

A dificuldade surge, principalmente, quando nos deparamos com expressões idiomáticas e uso de verbos. Existe relação pela ideia, mas não pela forma. Isso ocorre porque a língua é um reflexo da cultura de um povo e dos elementos da sua região, e está em constante alteração. É por isso que algumas palavras existem em determinada língua, mas não têm correspondentes em outra.

Mas como poderíamos explicar para um estrangeiro aquelas palavras que não têm tradução em inglês? Veja a seguir algumas propostas para 6 palavras do português tidas como "intraduzíveis":

1. Cafuné = the act of running one’s fingers through one’s hair
2. Saudade = feeling of longing. Nostalgia for a person, feelings, experiences or places that once brought excitement.
3. Calorento(a) / Friorento(a) = someone who is sensitive to high/low temperatures
4. Malandro = mix of con man, bohemian and a swindler. Not entirely negative meaning though! It depends on the context. A "malandro" can be a clever and witty person.
5. Malemolência = the action or an instance of swaying, an oscillating, fluctuating motion.
6. Farofa = a toasted manioc or maize flour mixture.

Para complementar a discussão, veja a tabela a seguir. Ela mostra alguns exemplos em que usamos o verbo "ter" em português e o verbo "to be" em inglês. Apesar de serem frases simples, ainda há muita gente que confunde e usa inadequadamente. Mais um exemplo que mostra como a tradução será sempre uma adaptação. Confira:

Português (Ter) Inglês (Ser)
Quantos anos você tem? How old are you?
Ele tem vergonha. He's shy.
Isso não tem graça. That's not funny.
Ela tem facilidade / jeito para línguas. She's good at languages.
Você deve ter paciência. You must be patient.
Sinto por eles. I feel sorry for them.
Você tem certeza? Are you sure?
Ele tem razão. He's right.
Ela não teve culpa disso. It wasn't her fault.
Não tenho medo de cachorro. I'm not afraid of dogs.
Tive sorte. / Tive azar. I was lucky. / I was unlucky.
Tenha cuidado. Be careful.


E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa e que dão aulas por Skype. Fale com: karina.soares@companhiadeidiomas.com.br

Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC. Coautora do Guia Corporativo Política de Treinamento para RHs e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista do portal Vagas Profissões. Organizadora do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes.

21
JUL
17

5 erros de inglês que muitos brasileiros cometem



 

Você consegue identificar alguns erros comuns de quem não tem o inglês como língua materna? Veja alguns exemplos extraídos da sala de aula:

1. The news seem very encouraging, because police believes the suspect will be arrested tomorrow.
O correto aqui é “the news seems”. Este é um caso de substantivo que termina em “s” , que parece plural, mas carrega a conjugação de “it” quando atua como sujeito. Portanto, o certo é “the news is, the news seems, the news has.” Outro erro na frase é o substantivo “police”. “Police” sempre carrega a conjugação de “they”. Portanto, o correto é “police believe”.

2. Do you know why is he late?
Aqui, a estrutura que indica frase interrogativa deve estar apenas no início. Até "Do you know why...?", a frase está correta. O problema é com a segunda pergunta, "is he late?", que é indireta e deve ser formada com estrutura de frase afirmativa. Portanto, o certo é dizer "he is late". Refazendo toda a frase, ficamos com "Do you know why he is late?".

3. The people here are very interested to meet you. We’re all looking forward to hear your talk.
Aqui temos dois erros. Primeiro, usamos a estrutura “to be interested” com a preposição “in”. Além disso, o verbo que vem depois deve estar no gerúndio (-ing). Então a primeira parte da oração ficará: "The people are very interested in meeting you".

Vamos à segunda oração. Sempre que usar “to look forward” (esperar ansiosamente), o correto é “to look forward to”. E, novamente, se for usar um verbo em seguida, ele deve vir como gerúndio (-ing). Fica assim: "We´re all looking forward to hearing your talk". 

4. If you spoke English, you will have a promotion.
Os condicionais são muito parecidos com a estrutura na nossa língua. Veja primeiro em português. Você diria a frase "Se você falar inglês, terá uma promoção"? Não, o certo é "Se você falasse, teria". Em inglês, é a mesma coisa. Ou você diz "if you speak English, you will have a promotion" (terá) ou "if you spoke English, you would have a promotion" (teria). E para complicar um pouco: "If you had spoken English with your American boss, you would have had the promotion", ou seja, "se tivesse falado inglês com seu chefe americano, teria tido a promoção".

5. You won´t see all the sculptures in the museum, even though you stay for the whole day.
“Even though” é frequentemente confundido com “Even If” , pois são muito parecidos em seu significado. “Even though” quer dizer “apesar do fato de”. Já “even if” quer dizer “mesmo se, independentemente do fato de”. Complicado? Então vamos ver exemplos:

"Even though I´m 50, I still miss my teachers". (Apesar do fato de ter 50 anos, ou apesar de ter 50 anos...)

"Even if she does not speak German, I think she should live in Germany for a while". (Mesmo se ela não falar alemão...) .

Na segunda frase, uso “even if” porque não sei se ela fala ou não alemão. Mas, independentemente disso, acho que ela deveria morar lá. Essa é a principal diferença das duas estruturas.

Voltando à frase original deste tópico, o correto é "You won´t see all the sculptures in the museum, even if you stay for the whole day". O autor da frase não sabe se a pessoa ficará ou não o dia inteiro no museu. Independentemente disso, sabe que ela não conseguirá ver todas as esculturas. Daí o uso de “even if".

E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa e que dão aulas por Skype. Fale com: karina.soares@companhiadeidiomas.com.br

Rosangela Souza é fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e ProfCerto. Graduada em Letras e Tradução/Interpretação pela Unibero, Business English na Philadelphia, USA. Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e PÓSMBA pela FIA/FEA/USP. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico e indicadores de desempenho para MPMEs. Colunista do portal da Catho Carreira & Sucesso, RH.com e Exame.com. Professora de Técnicas de Comunicação, Gestão de Pessoas e Estratégia na pós graduação ADM da Fundação Getulio Vargas/FGV.


18
JUL
17

9 perguntas que farão para você na imigração dos EUA



 

Seja a trabalho ou mesmo para fazer um intercâmbio, passar pela imigração (immigration) e alfândega (customs) dos Estados Unidos pode gerar um pouco de preocupação, principalmente para quem vai sozinho e pela primeira vez.


Ao chegar ao primeiro aeroporto internacional dos EUA, atravessamos (go through) a Imigração para a entrevista e entrega do Arrival/Departure Record Form. Depois vamos para as esteiras retirar nossas malas (pick up our bags) na Baggage Claim Area.


De posse das malas, vamos para a liberação na alfândega (customs clearance). Essa fila (line) é bem mais rápida que a da Imigração e a maioria dos passageiros (passengers) só entrega o US Customs Declaration Form. Há uma escolha aleatória para que as malas passem pelo raio-x, a não ser que um cão farejador identifique algo.


Durante esta etapa da viagem, você poderá encontrar oficiais simpáticos, desconfiados, sisudos, detalhistas, ríspidos... Todos são objetivos e exigem o cumprimento das regras.


Em Miami, muitos deles falam espanhol, o que pode facilitar. Porém, aos que vão para outros destinos, o inglês deverá ser a língua de comunicação.


Por isso, selecionei algumas perguntas clássicas e algumas variações que qualquer viajante (traveler - US ou traveller - UK) terá de responder objetivamente na Imigração. Para algumas, coloquei possibilidades de respostas:

1)

- Can I see your passport, please? / Could I see your passport, please? / May I see your passport and form, please?
Posso ver seu passaporte - e formulário, por favor?


- Here you are. / Here it is. / Here they are.
Aqui está. / Aqui estão.

2)

- How long are you coming to the USA for? / How long are you staying? / How long will you be staying? / How long are you planning to stay?
Por quanto tempo você ficará nos EUA? Por quanto tempo você pretende ficar?


- I’m staying for… / I’ll be staying for…
Ficarei por…

3)

- Where have you traveled from? / Where are you coming from? / What is your country of residence?
De onde você vem? / Qual o seu país natal?


- I’m from Brazil. / I'm coming from Brazil. / I’m Brazilian.
Sou do Brasil. / Sou brasileiro.

4)

- What’s the purpose of your visit? / Why are you visiting the States?
Qual o propósito da sua viagem? Por que você está visitando os EUA?


- I'm here on business. / I’m here on vacation. / I’m here to visit relatives. / I’m here to visit a friend. / I’m here to study.
Estou aqui a trabalho. / Estou aqui em férias. / Estou aqui para visitar parentes. / Estou aqui para visitar um amigo.  / Estou aqui para estudar.

5)

- Where will you be staying?
Onde você vai ficar/ se hospedar?


- I'll be staying at a hotel. / I’ll be staying at a friend’s house.
Ficarei em um hotel. / Ficarei na casa de um amigo.

6)

- What is the country of your final destination? / Which city is your final destination?
Qual país será seu destino final? / Qual cidade será seu destino final?


- It’s...
É...

7)

- What do you do back home? / What’s your job?
O que você faz? / Qual é o seu trabalho?


- I’m a/ an...
Sou...

8)

- Have you been to the USA before?
Você já veio aos EUA antes?


- No, this is my first time.
Não, é minha primeira vez.

9)

- Why are you traveling alone?
Por que você está viajando sozinho/a?


- Because…
Porque…


Só mais uma dica, importante ter impressas as reservas de hotéis e carro para apresentar, caso isso seja solicitado durante a entrevista.

Boa viagem!

E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa e que dão aulas por Skype. Fale com: karina.soares@companhiadeidiomas.com.br

Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC. Coautora do Guia Corporativo Política de Treinamento para RHs e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista do portal Vagas Profissões. Organizadora do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes.