BLOG

25
JAN
17

As características de um ótimo professor de idiomas



 

Perfeição não existe, mas isso não pode ser uma desculpa. Todos nós temos pontos positivos e pontos a melhorar e, a fim de ajudar alunos e professores a reconhecer o que está bom e o que precisa mudar, criamos uma ferramenta de análise das boas práticas de ótimos professores de idiomas. 
 
 
Avalie se seu professor está mandando bem e se ele será um facilitador no caminho à fluência no idioma estrangeiro. 

Dinamismo e Entusiasmo

É dinâmico e alto astral
Demonstra paixão pelo que faz 
“Gosta de gente”
É autoconfiante

Realizamos mapeamentos de expectativas e necessidades com todos os alunos que vão realizar curso com a Companhia de Idiomas e é muito comum ouvir que os alunos esperam aulas dinâmicas.

Organização e Clareza

Foca nos objetivos, necessidades e realidade dos alunos. Sabe que é sobre os alunos e não sobre o professor
Sempre está preparado para as aulas, ou seja, faz sua lição de casa
Dá explicações claras
Usa exemplos; dá detalhes; faz analogias, metáforas  e aborda o material do curso de várias maneiras, não só para facilitar a compreensão, mas também para proporcionar maior retenção do conteúdo 
Consegue abordar temas áridos de uma maneira simples e de fácil compreensão para os alunos

Interação

Faz uso do que existe de melhor nas várias metodologias existentes 
Explora as nuances e peculiaridades do idioma
Discute temas variados 
Motiva, orienta, utiliza e dá dicas de recursos adicionais, tais como: aplicativos, sites, livros etc 
Elogia o progresso dos alunos
Respeita o estilo e ritmo de aprendizagem dos alunos, sem deixá-los em sua zona de conforto
Sai do script sempre que precisar a fim de garantir o resultado esperado e necessário
Cobra a realização de atividades extraclasse
Sinaliza os erros e o que os alunos precisam melhorar, ou seja, dá feedback constante
Está preocupado com a qualidade de suas aulas e o desenvolvimento dos alunos
Mantém vários canais de comunicação com os alunos


Todas essas atitudes estão embasadas no excelente nível linguístico no idioma. Um ótimo professor está sempre estudando e se atualizando. 

Como o aluno não é um especialista na área, ele precisa saber diferenciar quem está professor de quem é professor. Isso faz muita diferença no resultado do curso!

A Companhia de Idiomas conduz um processo seletivo, bastante rigoroso, dos seus professores, com 4 etapas, a saber:

1. Teste escrito on-line
2. Entrevista para avaliação de competências comportamentais
3. Avaliação oral
4. Avaliação pedagógica

Se o professor passar por todas essas etapas, ele fará a integração e depois, para cada projeto linguístico que assumir, ele receberá treinamento específico com o coordenador pedagógico.

Se você é professor de idiomas e quiser trabalhar conosco, faça seu cadastro http://companhiadeidiomas.com.br/profteste/pt 

Se você é aluno e quer conhecer mais sobre nosso trabalho, visite nosso site www.companhiadeidiomas.com.br e solicite uma proposta.


Adaptado do esquema desenvolvido por M. Hildebrand, 1971.


Escrito por Lígia Crispino. Publicado em 25/01 na Exame.com. Editado por Lígia Crispino para o blog da Companhia de Idiomas.

Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e do ProfCerto. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC. Coautora do Guia Corporativo Política de Treinamento para RHs e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista dos portais RH.com, Vagas Profissões e Revista da Cultura. Organizadora do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes.

E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa. 
Fale com: 
roselicampos@companhiadeidiomas.com.br


18
JAN
17

Aprenda tempos verbais com o último discurso do presidente Obama



 

Independentemente de suas posições políticas, vale a pena você assistir e ler o último discurso do presidente Obama, que deixa a Presidência dos EUA no dia 20.01.2017.
 
E se você precisa melhorar seu inglês, aproveite para testar seus conhecimentos de tempos verbais, com os trechos abaixo.

1. “Those conversations are what have____ (to keep) me honest, and ____ (to keep) me inspired, and ____ (to keep) me going.” 


2. “And it was a neighborhood not far from here where I ____  (to begin) _____ (to work) with church groups.”

3. “Whether we have _____ (to see) eye-to-eye or rarely ____ (to agree) at all.”

4. “And I was still ____ (to try) ______ (to figure) out who I _____ (to be), still ______ (to search)  for a purpose in my life.”

5. “It's the conviction that we are all ______ (to create) equal, _____  (to endow) by our Creator with certain unalienable rights.”

6. “It's what ____ (to lead) patriots ______ (to choose) republic over tyranny.” 

7. “Not that our nation has _____ (to be) flawless from the start, but that we have ____ (to show) the capacity to change.”

8. “If I had ____ (to tell) you eight years ago that America _____  _________ (will/ to reverse) a great recession (…), you _____ ____  _______ (might/ to have/ to say) our sights _____  ______ (to be / set ) a little too high.”

9. “Then workers of all shades are going  ____ ____ ________ (to be/to leave / to fight)  for scraps.”

10. “I'm ________ (to ask)  you _______ (to believe). Not in my ability ______ (to bring) about change — but in yours.”

Fonte:  whitehouse.gov

Answers: 
1. kept / kept / kept
2. began / working
3. seen / agreed
4. trying / to figure / was / searching
5. created / endowed
6. led / to choose
7. been /  shown 
8. told / would reverse / might have said / were set
9. to be left fighting
10. asking you to believe / to bring


Escrito por Rose Souza. Publicado em 08.01 na coluna semanal da Exame.com. Editado por Rose Souza para o blog da Companhia de Idiomas 

Rosangela Souza é fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e ProfCerto. Graduada em Letras e Tradução/Interpretação pela Unibero, Business English na Philadelphia, USA. Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e PÓSMBA pela FIA/FEA/USP.  Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico e indicadores de desempenho para MPMEs. Colunista do portal da Catho Carreira & Sucesso, RH.com e Exame.com.   Professora de Técnicas de Comunicação, Gestão de Pessoas e Estratégia na pós graduação ADM da Fundação Getulio Vargas/FGV.


E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa. Fale com: roselicampos@companhiadeidiomas.com.br

 

11
JAN
17

Como aproveitar ao máximo seu curso de idioma



 

Sempre que você decidir começar um curso de idiomas, importante avaliar essas dicas abaixo que podem ajudá-lo a atingir a fluência desejada em qualquer língua.

1. Releia o conteúdo visto em aula em voz alta, mesmo estando sozinho. Se possível grave e ouça algumas vezes.

2. A retenção do conteúdo visto em aula e ensinado para outras pessoas é de cerca de 85%. Se você é uma pessoa detalhista, comente com seus colegas de classe as descobertas que fizer em relação ao idioma. Se você gosta de esquemas para fixar melhor o conteúdo, compartilhe com eles também. 

3. Os movimentos da sua mão podem servir como portas para a sua memória. Se este é o seu caso, escrever ajudará muito durante o estudo ou durante a aula. Reescrever as anotações; textos ou diálogos do livro. É até estranho falar isso quando tudo é feito no computador, celular, tablete, mas é um fato que escrever ativa outras áreas do cérebro e isso pode facilitar o nível de retenção do conteúdo sendo estudado.

4. Se você tem vergonha de fazer perguntas ou de se expor na sala, poderá prejudicar o seu aprendizado. Você pode aprender muito mais quando tira todas as suas dúvidas com o professor. 

5. Temas que podem ser associados a alguma experiência que você já tenha vivido são muito mais fáceis de serem aprendidos. Escreva frases, com estruturas gramaticais e vocabulário novo, baseadas em situações que você viveu ou vivencia.

6. É muito difícil ter grupos homogêneos em termos de nível linguístico e de personalidade. Desta forma, se o professor não for experiente e habilidoso, poderá acontecer o seguinte: aquele aluno esperto, extrovertido, que sabe todas as respostas domina a aula, só ele fala... Isso não pode acontecer, mesmo que você seja tímido e sinta-se confortável com esta situação, pois você não terá de se expor. Todos os alunos precisam falar em aula, praticar conversação. Esta é a habilidade mais desafiadora ao aprender um idioma estrangeiro. Sendo assim, converse com o professor ou com o coordenador pedagógico da escola. Não se esconda atrás do aluno que monopoliza as aulas. 

7. Muitas pessoas gostam de estudar ouvindo música ou vendo televisão. O conhecimento comum diz que isso atrapalha, o que é verdade até certo ponto. Considere que a sua cabeça é um turbilhão de ideias e, com ou sem distrações, você vai pensar em milhares de coisas ao mesmo tempo. O que quero dizer é que o nosso pensamento já é uma fonte de distração natural. No entanto, avalie se há diferença para você na retenção do conteúdo nessas situações: ouvindo ou não música e assistindo ou não a TV. 

8. Você tem facilidade em mudar o foco da sua atenção a qualquer momento? Quando você começa a estudar, acaba se interrompendo para ver mensagens no celular ou redes sociais? 

São inúmeros os vídeos engraçados e GIFs que recebemos no Whatsapp. É muito mais interessante acompanhar as notícias nas redes sociais. Isso se chama procrastinação: fazer primeiro o que é mais gostoso e “empurrar com a barriga” aquilo de que não gostamos. Observe quando você sente a tentação de escapar na hora de estudar. Deixe o celular no modo avião ou no modo silencioso e longe por 30 a 60 minutos. 

9. Fique atento para o tempo de fala do seu professor em aula. Ele não pode falar mais do que você ou do que o seu grupo. Os professores tendem a ser expansivos e comunicativos. Além disso, muitos acreditam que falando estão ajudando os alunos. Só que isso não está certo, aula de idioma não pode ser expositiva, tem de ter a participação ativa dos alunos. O professor é um orientador, um facilitador para o aluno praticar, o máximo possível, o idioma em aula e, depois, ele deve sinalizar as inadequações e como o aluno pode melhorar. Quem precisa falar bem é você que está pagando para melhorar a sua proficiência no idioma!

Pense nisso.

Escrito por Lígia Crispino. Publicado em 11/01 na Exame.com. Editado por Lígia Crispino para o blog da Companhia de Idiomas.

Lígia Velozo Crispino, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e do ProfCerto. Graduada em Letras e Tradução pela Unibero. Curso de Business English em Boston pela ELC. Coautora do Guia Corporativo Política de Treinamento para RHs e autora do livro de poemas Fora da Linha. Colunista dos portais RH.com, Vagas Profissões e Revista da Cultura. Organizadora do Sarau Conversar na Livraria Martins Fontes.

E se você quer se aprofundar neste assunto, fale com a gente. A Companhia de Idiomas tem professores que vão até a sua casa ou empresa. 
Fale com: 
roselicampos@companhiadeidiomas.com.br