Artigos de Gestão

Artigos de Gestão

17
DEZ
14

Eficiente, eficaz, talentoso, genial. O que você é? O que quer ser?



 


Quanto mais estudo e vivo a liderança, mais concluo que não há teoria aplicável a todos os casos, ambientes e pessoas.  A boa notícia é que há, sim, alguns aprendizados que podem nos ajudar a compreender as relações saudáveis ou nocivas, bem como a raiz de nossa satisfação ou insatisfação no trabalho.

Sucesso, produtividade, competência… tudo está relacionado à nossa motivação com o que fazemos.

Minhas reflexões deste mês,  tente responder:

O tempo e a experiência tornam você mais eficaz?

A atualização contínua, cursos e leituras fazem você mais talentoso?

Os dons que naturalmente tem ajudam você a ser mais eficiente?

Se você respondeu “não” ou “depende” para as três perguntas, temos o mesmo ponto de vista.    Eu explico.

O tempo e a experiência tornam você mais eficaz?

Se eficaz significa “aquele que entrega o resultado esperado” e não apenas  “aquele que realiza a tarefa”, há um risco de acontecer exatamente o oposto.  Com o tempo e a experiência, podemos cristalizar uma determinada maneira de executar as tarefas. É incrível, mas nos esquecemos da razão pela qual fazemos as coisas e por que fazemos daquele jeito e não de outro.   Sabe aquele estagiário ou chefe que pergunta: “mas, por que fazemos isso? / por que fazemos dessa forma? ”  E você quer responder: “sempre foi assim, fica quieto, não enche!”.

A rotina nos automatiza e, como ratinhos de laboratório ou cachorrinhos bem adestrados, fazemos porque nos acostumamos. Quem fuma deixa de sentir o cheiro de cigarro, quem tem cachorro não sente o cheiro de seu cão (mas os outros sentem) .  Ela quase não ouve a voz do seu marido com quem convive há 20 anos, e ele ouve tudo o que fala a sua nova namorada, ainda na fase de conquista.  O hábito nos cega, nos ensurdece, nos emburrece. Então, o tempo e a experiência podem até nos tornar eficientes, ou seja, cumpridores de tarefas no prazo. Mas dificultam nossa capacidade de pensar sobre o que fazemos, como fazemos e sobre outras formas – nunca imaginadas – de chegar ao resultado esperado. E isso é eficácia.  Gente eficiente nem é tão difícil de encontrar. Mas eficaz…

A atualização contínua, cursos e leituras fazem você mais talentoso?

Cursos ou livros devem ampliar nossa mente, nos ajudar a observar os fatos sob outros ângulos, compreender outras causas e consequências dos fatos, nos distanciar de qualquer posição maniqueísta (eles/nós, bom/ruim, amigo/inimigo, odeio/amo) e nos deixar mais flexíveis para entender o mundo em que vivemos.   A educação de qualidade – não necessariamente na universidade –  pode contribuir para que sejamos mais eficazes – algo que, como vimos acima, não é conquistado com anos de experiência.

É através da atualização e do seu interesse por aprender que você cria novas sinapses e exercita seu cérebro para, na hora da decisão, na hora de ter aquela ideia inovadora, na hora que surgir algo inesperado,  de entregar resultado subvertendo o processo, você ser o cara. Eficaz. Imprescindível.  Agora imagine Experiência com Atualização Contínua.  Eficiência com Eficácia. Excelência na Execução com Criatividade.   Você pode até não ser muito talentoso, mas se conseguir juntar eficiência com eficácia, se torna imprescindível.  E as empresas se esforçam para manter os imprescindíveis.

Os dons que naturalmente ajudam você a ser mais eficiente?

Se você é tipo “Romário” -  que não treinava, não se concentrava, mas ia lá e fazia o gol, já entende que nem sempre é o eficiente que surpreende e resolve a parada. O eficiente faz tudo certinho, no prazo e de acordo com as normas, manuais e procedimentos.  Empresas precisam de eficiência, senão ficam caóticas. Mas a eficiência não é mais suficiente para vencer os desafios do mercado. Precisamos de gente talentosa, que nasceu para fazer aquilo – de vender apartamentos a construir aviões, não importa.

Se você nasceu para lidar com gente e está em uma função de elaborar relatórios na área de Contabilidade, que requer concentração e foco, não vai dar certo.  E se nasceu para lidar com gente, está em uma área de intenso relacionamento com pessoas, sente que nasceu para isso, ainda tem de ter cuidado para ser eficiente, ou seja, fazer uma parte do trabalho que requer realização de tarefas que não estão ligadas a pessoas.

Seus dons não o tornam mais eficiente, necessariamente. Mas somados à disciplina do eficiente e à criatividade do eficaz, o desenvolvimento de seus dons na sua função pode fazer de você um profissional genial. Se souber lidar com as pessoas então, espécie rara.  Para eles, tudo.

Fonte: Portal Catho - Carreira & Sucesso e Rosangela Souza

Rosangela Souza é fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e ProfCerto.Graduada em Letras e Tradução/Interpretação pela Unibero, Business English na Philadelphia, USA.
Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e aluna do Pós-MBA da FIA/USP. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico e indicadores de desempenho para MPMEs. Colunista do portal da Catho Carreira & Sucesso.